domingo, 9 de outubro de 2022

O dia seguinte

 O dia seguinte

                            

                                                *Cesar Vanucci

 

“Não houve nenhuma contestação quanto aos resultados das eleições de 02 de outubro” (Presidente do TSE, Ministro Alexandre de Moraes, a respeito do pleito)

 

Antes de tudo mais, olhos voltados para os acontecimentos do histórico 02 de outubro, falemos da extraordinária festa cívica vivenciada pela Nação. Os brasileiros demos uma demonstração agigantada de maturidade democrática, num pleito que registrou de norte a sul, de leste a oeste, perfeita sintonia dos lares e das ruas com os ditames da convivência ordeira e pacifica. Seja, igualmente, mais uma vez louvada a irrepreensível conduta da Justiça Eleitoral, responsável pela estrutura de votação e apuração que tanto assombro e admiração produz aqui e alhures.

 Reportemo-nos, na sequência, aos resultados. Foram, de certo modo, surpreendentes, numa disputa que se revelou a mais renhida após a redemocratização.  No tocante a contenda presidencial, a margem de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da silva, na vitória parcial conquistada, foi menor do que as pesquisas assinalavam. O Presidente Jair Messias Bolsonaro mostrou, na chegada condição excepcional para adiar a definição para um segundo momento. Paralelamente a isso ampliou sua força política com o triunfo significativo de numerosos integrantes de seu grupo em cargos executivos e legislativos. Tem-se por certo que a campanha do segundo turno será bastante acirrada ficando nada fácil para o observador prognosticar acerto sobre quem sairá vencedor, já que o páreo pode vir a ser decidido, como se diz, “no olho eletrônico”.

Os próximos dias, reservados pelos presidenciáveis ao esforço de atrair alianças, oferecerão muitas emoções. Lula vai empenhar-se em ampliar o leque de apoios a que seus partidários convencionaram de denominar “frente ampla”. Suas articulações, como tudo faz crer, se estenderão aos domínios eleitorais em que Simone Tebet e Ciro Gomes se destacaram. Nos redutos petistas vem sendo propagado que os contatos, nos dois casos, serão diretos com Simone e com a cúpula do PDT. Do outro lado, espera-se que Bolsonaro procure reestabelecer o pacto que vigorou no pleito de 2018 com o governador reeleito de Minas Gerais. Romeu Zema, como foi amplamente noticiado, manteve-se, no primeiro turno, em posição de neutralidade com relação à competição presidencial.

Simone Tebt saiu-se na porfia como estrela em ascensão na constelação política brasileira. Ciro Gomes, provido sem duvida alguma de boas qualificações intelectuais e técnicas, perdeu-se no labirinto das contradições e estratégias equivocadas que adotou na corrida presidencial.

 A propósito do evento eleitoral, o Presidente do TSE, Ministro Alexandre de Moraes explicou, em coletiva à imprensa, não ter havido contestação alguma aos resultados das urnas. Disse, também, acreditar que o acirramento entre as candidaturas no 2* turno será político e que os ataques a Justiça Eleitoral não devem intensificar-se.

 Tudo isto posto, a sensação de que se acha a nação agora  apoderada é de que os próximos capítulos dessa maratona presidencial serão simplesmente eletrizantes. Dos contendores espera-se que se comportem à altura desse momento épico de evolução democrática inconteste evidenciado pela nossa gente. Que cada um deles saiba executar a contento a missão relevante de que se fazem protagonistas centrais. Exponham suas ideias, tragam à mesa dos debates, sabatinas e entrevistas propostas que contemplem o desenvolvimento econômico, o combate às desigualdades sociais, a eliminação de bolsões de pobreza aguda, enfim a invasão do futuro pelo nosso país, tão rico em potencialidades e virtualidades.

 

  Jornalista(cantonius1@yahoo.com.br)

Nenhum comentário:

A SAGA LANDELL MOURA

A eternidade de JK

                                                                                                                              *Cesar Vanucci...