sexta-feira, 16 de setembro de 2022

 

Cálice Bento

*Cesar Vanucci

 

“Salve, salve o Oratório, / onde Deus fez a morada.”

(Verso de abertura de “Calix Bento”)

 

A melodia “Calix (cálice) Bento”, tão do agrado popular é uma adaptação brasileira ligada a tradição musical das Folias de Reis, de origem portuguesa e está vinculada ao culto católico de Natal e Santos Reis. No Google explica-se que a tradição brasileira, impregnadas de sincretismo religioso, as Folias são comemoradas por grupos que visitam as casas tocando músicas alegres em louvor aos “Santos Reis”. Estes festejos se alongam do final de dezembro até 06 de janeiro do ano seguinte, dia de Reis no nosso calendário. A concepção musical é do apreciado cantor e compositor mineiro Tavinho Moura, tendo sido lançada em Porteirinha, norte de Minas, região hoje pertencente ao município de Serranópolis. Tavinho Moura é um dos integrantes do famoso “Clube da Esquina”, integrado, entre outros, por Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta, Milton Nascimento.

Dias passados numa agradável festa familiar comemorativa de bodas matrimoniais, as pessoas presentes entoaram, com euforia contagiante que a canção naturalmente suscita uma versão ampliada no que toca aos seus sugestivos versos. A “complementação poética”, se é que assim pode ser chamada, nasceu da inspiração de alguns participantes da animada confraternização. Trazemos aqui, para o respeitável publico toda cantoria ouvida.

“Salve, salve o Oratório, / salve, salve o Oratório, / onde Deus fez a morada, / onde Deus fez a morada. //

Onde mora o Cálice bento, / onde mora o Cálice bento/ e a hóstia consagrada, / e a hóstia consagrada. //

De Jessé nasceu a vara, / de Jessé nasceu a vara / e da vara nasceu a flor, / da vara nasceu a flor. //

Da flor nasceu Maria, / da flor nasceu Maria/ e de Maria o Salvador, / de Maria o Salvador. //

Até aqui os versos já conhecidos. Na sequencia, mantida obviamente a toada melódica, o complemento citado.

“Em Belém, a Estrela-Guia, / em Belém a Estrela-Guia / iluminou a manjedoura, / iluminou a estrebaria. //

Ali nasceu o Menino-Deus, / ali nasceu o Menino-Deus, / filho de José e Maria, / filho de José e Maria. //

Venerado pelos Magos, / venerado pelos Magos. / Estava ali o Redentor, / estava ali o Redentor. //

Ele trouxe rica mensagem, / trouxe rica mensagem, / de concórdia e de amor, / de concórdia e de amor. //

Multidões o aclamaram, / multidões o aclamaram/ e o seguiram com fervor, / o seguiram com fervor. //

Desgostosos os poderosos, / desgostosos os poderosos,/ reagiram com furor, / reagiram com rancor. //

Ele foi atraiçoado, / Ele foi atraiçoado, / injuriado e humilhado, / injuriado e humilhado. //

Pilatos lavou as mãos, / Pilatos lavou as mãos / e Ele acabou crucificado, / acabou crucificado. //

Pouco tempo transcorrido, / pouco tempo transcorrido, / Eis Jesus ressuscitado! / Eis Jesus ressuscitado! //

O Oratório documenta, / o Oratório documenta / esta história refulgente, / esta história emocionante //

de um Ser resplandecente, /  de um Personagem transcendente, / que veio do céu salvar a gente, / veio do céu salvar a gente.”//

 

                             Jornalista(cantoniu1@yahho.com.br)

Nenhum comentário:

A SAGA LANDELL MOURA

Chegada a hora

  Chegada a hora Cesar Vanucci *   “Eleição é um teste cívico periódico para se manter a boa saúde democrática.” (Antônio Luiz da Co...