sexta-feira, 13 de dezembro de 2019



Todo corpo deve ser templo

Cesar Vanucci

Quando tudo dói, a dor não é física!”
(Roberta França, geriatra)

Acontece sempre. Grandes conquistas civilizatórias, brotadas da portentosa engenhosidade do ser humano, costumam trazer no bojo perturbadores efeitos colaterais. A internet, tomando um exemplo, documenta impecavelmente a tese. Contribuindo esplendidamente para a elevação a níveis inimagináveis do conforto e do bem-estar social, abre perspectivas, paralelamente, para um bocado de situações sumamente desagradáveis.

Facilita ao assim chamado “idiota da aldeia” acesso a um sistema de som, de alcance ilimitado, para propagação de asneiras prejudiciais ao relacionamento comunitário. Cria ensancha oportunosa – como se costumava dizer em tempos de antigamente – para o uso impróprio, inoportuno e maldoso de palavras e ideias de conteúdo mentiroso e impactante que acabam se alastrando com impetuosidade de grama tiririca. Dá chance a gente inescrupulosa, radical, fanatizada, ressentida, obcecada por doentias paixões, para alvejar impunemente a dignidade e a reputação alheias. Todas essas mazelas são de fácil constatação por parte de quem mantenha o hábito de navegar pelas postagens das chamadas redes.

Do que, todavia, pretendemos mesmo tratar, no papo de hoje deste desajeitado escriba, incorrigível buscador de quimeras, com o culto leitorado, é de uma outra faceta, dentre as inúmeras de cunho positivo existentes no complexo eletrônico de comunicação. Nas redes sociais deparamo-nos, também, alvissareiramente, com mensagens, recados, depoimentos, conceitos, orientações, de características amenas e singelas, que concorrem para enobrecer o espírito humano. Funcionam, igualmente, como estímulo poderoso a práticas edificantes.

O texto vindo na sequência, de autoria da geriatra Roberta França, do Rio de Janeiro, por nós extraído da internet com o fito de preencher o espaço que nos está afeto nesta página de reflexões, constitui amostra loquaz do benfazejo compartilhamento de ideias que as redes estão em perfeitas condições de propiciar visando a causa da construção humana e a difusão de valores que tornem a aventura da vida digna de ser vivida. Façam bom proveito, senhoras e senhores!

“Quando ainda era acadêmica ouvi de um professor algo que nunca esqueci "quando tudo dói a dor não é física"... Talvez eu não tenha dimensionado naquele instante a grandeza desse diálogo. Hoje geriatra, vivenciando diariamente a rotina dos meus pacientes, vejo o quanto esse olhar me abriu para compreender cada um que chega com dores por todo corpo; muitas vezes não sabendo nem por onde começar ou sequer explicar como acontece. Ouço com atenção às queixas de dores de cabeça, no estômago, musculares, ósseas, palpitações, náuseas, coceiras... Depois faço apenas uma pergunta "o que está realmente acontecendo com você?” Após um minuto de hesitação e até espanto, a maioria cai num choro convulso e doloroso. Deixo o choro libertador acontecer e então no lugar das queixas álgicas ouço término de relações, perdas de pessoas queridas, problemas financeiros, medos, angústias e ansiedades. Novamente lembro - me da frase "quando tudo dói a dor não é física"... Não é! A dor é na alma...Tudo que nos faz mal e guardamos, por um mecanismo de defesa, vai sair de alguma forma... muitas vezes em forma de doença! É nosso corpo físico gritando pelo resgate da nossa alma... É nosso corpo nos confrontando com nosso eu... É nosso corpo nos mostrando o que não vai bem... É nosso corpo dizendo "olhe pra você" As vezes é difícil compreender e até acreditar nisso. Normal! Estamos tão mentais, tão obcecados pela objetividade que só mesmo adoecendo, doendo, machucando é que paramos para valorizar nossas sensações e nos perceber... Ninguém gosta de sentir dor, ninguém quer adoecer, todo mundo teme se machucar... Alertas! Quantos alertas nosso corpo precisa nos enviar para olharmos pra ele, de verdade! Sejamos mais atentos, gentis e cuidadosos com nosso corpo. Sejamos mais atentos, generosos e amorosos com nossa alma. Toda dor é real, / Toda dor é tratável, / Todo corpo deve ser templo, / Toda alma deve ser leve.”



Nenhum comentário:

A SAGA LANDELL MOURA

Não precisava ser assim   Cesar Vanucci “Esse nosso infernal cotidiano!” (Domingos Justino Pinto, educador) Carga pesada. Isso...