sexta-feira, 25 de setembro de 2020

 

Médicos, enfermeiros e hospitais

 

Cesar Vanucci

 

“Comemoremos a pulsação da vida.”

(Padre Juvenal Arduini, exaltando a

ação dos profissionais da saúde)

 

Volto ao carismático padre Juvenal Arduini. Mestre saudoso, cabeça pensante iluminada, querido compadre, companheiro de lida acadêmica na Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Intelectual respeitado, com senso de justiça e sensibilidade social aguçados, Arduini era um sacerdote devotado à causa evangélica. Atuou como professor na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santo Thomas de Aquino e assistente espiritual no Hospital São Domingos, em Uberaba, ambas instituições pertencentes às valorosas Irmãs Dominicanas. O hospital, à época da implantação foi apontado como estabelecimento modelar por sua arrojada concepção. Especialistas tinham-no como referência no cenário médico hospitalar. Agregado ao São Domingos funcionava a Faculdade de Enfermagem “Frei Eugênio”.

Os textos vindos na sequência, guardados nos arquivos deste escriba, foram produzidos há muito tempo. Reportam-se, em linguagem poética, numa cadência de benção, à ação fecunda em benefícios sociais desenvolvida “com amor e ternura” por médicos e enfermeiros no dia a dia de um grande hospital. Ação, que ele, Juvenal, acompanhou bem de perto, anos a fio. Dispensável enfatizar a atualidade de que se revestem os dizeres agora entregues à apreciação do distinto leitor.

Hospital, núcleo de solidariedade. Partir mais uma vez para o futuro / Através de um olhar / Que enxerga distante. / Hospital é concentração da saúde / Alegria que retorna ao lar. / Felizes são aqueles que são curados / Pois renascem de uma vida, que não se cansa.

As lágrimas são enxugadas pela coragem / Pela presença atenta que circula noite e dia / Pelo diálogo acolhedor / Que todos os participantes são responsáveis. / A caridade vibra na alma cristã / Através da paixão que nos encanta e não desiste / Através da beleza da vida que se revela / Assim, “somente o belo pode ser amado”.

Há muitos irmãos que se arrastam / Na dor e no sofrimento / Que podem ser superados / Através do amor, da verdade autêntica, / Da ternura, de Cristo.

Médicos sábios. Cristo, acompanhe sempre os médicos / Que teu sangue consagre o sangue deles / Que tua voz ressoe em suas palavras / Que teu olhar ilumine o olhar desses profissionais. / Que os passos deles sejam abertos caminhos, pelos teus! / Que o trabalho deles seja encorajado / Por teus gestos.

Que a tua luz atravesse / As sombras que os seguem. / Que a vida deles / Sejam iluminadas pela tua compaixão. / Que suas energias já cansadas, / Sejam revigoradas diante da tua força. / Que a fraternidade entre os médicos / Seja enlaçada e estreita pelo teu amor.

Que tuas mãos / Abençoem as mãos deles. / E que tua fidelidade / Sustente os seus compromissos. / Senhor, faze com que os médicos / Sejam sempre / Cientistas bio-antropológicos, / Peregrinos da medicina, / Companheiros dos enfermos, / Educadores do respeito humano, / Mestre da ética, / Defensores da vida, / Artistas da saúde, / Artífices da paz social, / Romeiros da história, / Maestros da esperança, / Testemunhas da fé, / E mensageiros da alegria.

Bênção ao Posto 6 da enfermagem. É hora de comemorar / A vitória sublime / O belo momento / Do posto 6, renovado. / Sentimos a plenitude da graça / Da vida, da verdade / Doa mor, da paz / E da esperança. / É preciso comemorarmos a solidariedade / O convívio nobre do trabalho / O acolhimento fraterno daqueles / Que buscam a saúde.

Comemoremos a pulsação da vida / A consciência limpa / O semear do respeito / A alegria dos enfermos. / Comemoramos, ainda, a germinação crescente / O corpo e o espírito / O passo sempre firme e inovado / Dos profissionais da saúde. / O sentido da glória / É manter o valor da vida / Da renovação / Da busca para semear o bem.

Eis porque suplicamos / O júbilo para todos. / É hora de suplicarmos / A bênção do pai celestial / Do Cristo em nosso irmão. / É hora de pedirmos / A bênção do Espírito Santo / De abençoar a todos. / É hora de dizer amém, / Assim seja, / É hora da glória / Pela presença de Deus.


Nenhum comentário:

A SAGA LANDELL MOURA

  As duas frentes de luta na Amazônia   Cesar Vanucci   “A Amazônia corre risco permanente por causa da devastação e por causa da ...