sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018


Lions Clube de Contagem

Cesar Vanucci

“Leonismo se vive!”
(Maria das Graças Amaral
Campos, governadora do Lions)

Contagem deixou de ser no dia 4 de fevereiro, domingo, o único entre os municípios mineiros de grande porte cultural, demográfico, econômico e político a não possuir um Clube de Lions. A implantação da unidade, em concorrida e festiva sessão solene, ocorrida no salão nobre da Prefeitura Municipal, reuniu a cúpula dirigente do Movimento Leonístico em Minas Gerais, representantes do mundo oficial e de numerosas instituições culturais, educacionais e assistenciais da Região Metropolitana de Belo Horizonte e de outros pontos do Estado.

Em número de 26, os sócios fundadores do Clube recém-implantado foram empossados pela governadora do Distrito LC-4, professora Maria das Graças Amaral Campos, que presidiu a assembleia. Francimara das Graças Batista, Maria da Conceição de Oliveira e Rafael Leonardo Lourenço, influentes líderes comunitários, assumiram na ocasião os cargos, respectivamente, de presidente, secretário e tesoureiro.

Revestida de intenso brilhantismo, a cerimônia teve início, nos termos do ritual leonístico, com a tradicional “Invocação a Deus”, proferida pela companheira leão Cleuza Rodrigues Vieira Dias. Músicos da banda da Polícia Militar executaram, em seguida, o Hino Nacional Brasileiro. Tiveram participação também, com outra performance, nas aplaudidas apresentações artísticas levadas a efeito. A programação cívica foi entremeada ainda por números do Coral Cristo Rei, da Comunidade de São Francisco de Assis; do intérprete Kayc Antonelly e do casal Zenita Ana de Melo Coelho e Antônio Custódio Moraes, associados do clube. A “Oraçãop pelo Brasil” e a “Oração final”, próprias das assembleias do leonismo, estiveram a cargo de Maria da Conceição de Oliveira e Daniela Vitória de Souza Dias.

Leo Moreira, representante do prefeito de Contagem Alexis de Freitas, transmitiu calorosa mensagem de boas-vindas ao Lions, assegurando a disposição da Municipalidade em colaborar com a instituição em suas iniciativas. Quem igualmente discursou foi o deputado federal Adelmo Carneiro Leão. Felicitando o Lions e a comunidade, ressaltou que a sociedade brasileira, ciosa de seus direitos, deveres e prerrogativas, coloca-se neste momento na expectativa de decisões que possam conduzir a rumos mais promissores o desenvolvimento econômico e social e que para isso faz-se fundamental a união das pessoas de boa-vontade em torno dos valores da nacionalidade.

Francimara das Graças Batista, presidente do novo clube, historiou os trabalhos preliminares desenvolvidos pelo grupo por ela encabeçado no sentido de consolidar o empreendimento. Registrou a resoluta disposição de todos em fazer da unidade inaugurada, que já conta com sede na Água Branca, um núcleo operacional dinâmico na prestação de serviços aos menos favorecidos.

Expressando júbilo pelo significativo acontecimento, a governadora do LC-4 Maria das Graças Amaral Campos informou que o clube de Contagem é o primeiro a despontar na paisagem leonística mineira depois da celebração recente do centenário da Associação Internacional de Lions Clubes. Lembrou que o Lions é a maior organização de clubes de serviço do mundo, operando em 210 países, em todos os continentes, falando dezenas de idiomas e aglutinando como voluntários 1 milhão e 400 mil associados de todas as categorias sociais. No Brasil, disse ainda, o universo de leões abrange 40 mil cidadãos, distribuídos por 1.520 clubes. Tais clubes compõem 28 distritos. O LC-4, sediado em Belo Horizonte, agrupa 1.400 pessoas, pertencentes a 55 clubes. Anotou que “Lions não é elitismo, não representa “status” social. É um estímulo à manifestação de liberdade, do espírito de humanidade. Não é apenas a reunião de pessoas certas em dias certos, nem apenas campanhas, nem apenas assistência social ou filantrópica, nem apenas civismo, nem apenas patriotismo, nem apenas tolerância religiosa e política, nem apenas sentimento de fraternidade entre povos e raças.” “Leonismo – complementou – é tudo isso. Leonismo é abertura total do nosso espírito. Leonismo se vive.”

O Lions Belo Horizonte Inconfidência apadrinhou a criação do Lions de Contagem. Integrantes de seu quadro de sócios fizeram entrega aos afilhados dos distintivos e material de trabalho que os habilitam como membros atuantes da instituição. A este escriba coube o encargo de usar da palavra em nome do clube padrinho. Fica para a crônica vindoura a reprodução do pronunciamento.


Manter a esperança,
apesar de tudo

Cesar Vanucci

“...por acaso a Terra não seria o inferno de outros planetas?”
(Aldous Huxley)

Trago hoje, submetendo-as à apreciação dos leitores, as considerações que fiz, na condição de padrinho do clube, na inauguração das atividades do Lions em Contagem.

“A implantação de um clube de Lions é sempre um acontecimento que engrandece a vida comunitária. A implantação de um clube de Lions com as singulares características deste aqui de Contagem é um acontecimento revestido de fulgor que extrapola os padrões habituais.

A expansão da febricitante atividade leonística é saudada sempre com euforia pelos cidadãos engajados em trabalhos sociais, culturais, assistenciais voltados para a dignificação da aventura humana. Quando nos é proporcionada a chance de contemplar, como sucede agora, uma resoluta conjugação de vontades focada na valorização de autênticos atributos humanísticos, o regozijo pela iniciativa ganha robustez maior.

Fixemos os olhares na composição dos quadros deste Lions. O que se enxerga, com bastante nitidez, são afirmações eloquentes de apreço do grupo a dons preciosos que tornam mais gratificante o labor cotidiano. Este Lions é amostra apreciável do genuíno sentimento de brasilidade, com sua abençoada miscigenação racial, com sua assimilação do conceito de convivência ecumênica, sua carinhosa compreensão das diversidades que a vida pode oferecer; e seus registros exemplares de superações existenciais. Esta é, pois, uma festa de brilho feérico na celebração da vida.

Festas assim proporcionam acumulação de energia positiva. Algo extremamente necessário neste mundo conturbado. O cenário mundial perturbador levou, dias atrás, grupo de renomados cientistas, responsável pela movimentação dos ponteiros do “Relógio do Juízo Final”, a anunciar que estão faltando apenas dois minutos para as badaladas fatídicas da meia-noite. Tudo por causa das guerras do terror e do terror das guerras. Da corrida armamentista nuclear. Por causa da paradoxal circunstância da sempre crescente escandalosa desigualdade social medrando em meio às extraordinárias conquistas tecnológicas de nossa era.

No rol das grandes preocupações da sociedade de nossos tempos figuram ainda as carências em alimentação, habitação, infraestrutura detectadas em vastas regiões deste planeta azul. Na maltratada África, gente morre à mingua por falta de soro fisiológico para combater o cólera. O drama dos imigrantes recolhidos a guetos envergonha a humanidade. O fanatismo religioso, a intolerância diante das diversidades, o racismo desapiedado tornam irrespirável a vida de milhões. A tal ponto de estimular escritor famoso, tomado de aturdimento, a indagar “se por acaso nosso planeta Terra não seria o inferno de outros planetas?”

As imensuráveis desventuras detectadas por aí afora são provocadas pelas ambições desmesuradas dos “donos do mundo”, com suas pretensões hegemônicas; pelos Trumps da vida; pelos radicais do terrorismo religioso; pelo perverso jogo das conveniências geopolíticas. Vale perguntar: o que está por trás dos atos dos desalmados autores dos hediondos atentados terroristas? Quem assegura suporte financeiro, suprimentos e outras modalidades de recursos para essas tresloucadas ações? E não pode ser esquecida ainda a corrupção asquerosa, de dimensões incalculáveis, gerando como sabido infortúnios sem conta. Coisas tão terríveis explicam o motivo pelo qual os cientistas andaram mexendo no último dia 26 de janeiro no “Relógio do Apocalipse”.

Mesmo que tanto fato negativo haja aflorado nestas singelas considerações, não poderemos nos furtar ao dever de uma informação de vital importância. Ancoramo-nos no sentimento da esperança, generoso impulso da alma, para ressaltar que o turbilhão de notícias desedificantes não é de molde a anular por inteiro expressivas propostas de vida e empreitadas positivas - desafortunadamente pouco divulgadas -, levadas avante, em numerosas latitudes, por parcelas majoritárias da comunidade conectadas com os verdadeiros anseios dos lares e das ruas. Projetando luminosidade impregnada de esperança, multidões se contrapõem à caudal dos desvarios. Agarram-se fervorosamente à tese de que um somatório de esforços bem intencionados possa propiciar, adiante, a todos os habitantes do planeta, desfrute em plenitude de seus potenciais humanísticos.

Esta bela cerimônia configura esforço - minúsculo, é certo – do empenho das pessoas de bem em adicionarem, no espaço em que atuam, cotas de energia positiva na formação de uma imensa egrégora, capaz, nalgum instante, de espalhar luminosidade abundante para a dissipação das trevas que rondam o destino da civilização. Quanto mais atos do gênero acontecerem, maiores possibilidades eclodirão de se forçar o recuo dos ponteiros do “relógio”.

Estimados Francimara das Graças Batista e companheiros de Contagem: Ao padrinho cabe o privilégio da bênção aos afilhados. Rogo da Suprema Divindade, ao dar-lhes minha bênção, não deixe faltar-lhes inspirações de luta em prol dos nobres ideais que os une, de maneira a garantir seja triunfante a jornada por vocês traçada. Palavra de leão!”


UMA BELA FESTA LEONÍSTICA


A festa do Lions Clube em Contagem, acima narrada, está sugestivamente retratada nas fotos na sequência, de autoria do companheiro leão Alvimar Peres da Cunha.









 







2 comentários:

Unknown disse...

Prezado Companheiro Vanucci
Parabéns pela iniciativa.
Contagem uma cidade polo, já teve 5 clubes de Lions, todos fechados por desacordo politico.
Li e vi a posse dos novos companheiros, li as mensagens, especialmente a sua, recheadas de verdades.
Parabéns aos companheiros do Lions Clube BH Inconfidência, pela iniciativa e trabalho, nos brindando com mais um clube de serviços humanitários
Que Deus ilumine a todos, ajudando, para que o trabalho assistencial seja feito.
Obrigado
PDG Marcos Antônio.

Marly Amato disse...

Caro César

Parabéns pela sua atuação no Lions, que, se me lembro, vem desde Uberaba. O trabalho da instituição é digna de todos os elogios, principalmente num mundo em que vivemos, com uma sociedade consumista e que despreza os valores da família, da caridade cristã, do amor ao próximo. Que Deus abençoe a mais nova unidade e a todos do Lions. Abraços. Orlando de Almeida.

A SAGA LANDELL MOURA

Falando de gripe comum                                                                 Cesar Vanucci “ (...) Daí ser a venda d...